9 Outubro, 2018 Sapien Livre 0Comment

Até pouco tempo atrás eu acreditava que viajar era a melhor forma de gastar dinheiro do que com qualquer outra coisa, além disso, costumeiramente chamava os gastos com viagens de “investimentos”.

Ultimamente comecei a me questionar e cheguei a conclusão que as viagens que fazia e o consumo de qualquer outra pessoa dentro de um shopping não tinham nada de diferente. Nós, amantes das viagens sempre acreditamos que estamos fazendo o melhor investimento. Mas será?

FAÇA VIAGENS COM PROPÓSITO

Existe uma máxima na atualidade chamada de consumo romântico, é o culto a experiência, ao valorizar o sentir. Gastar dinheiro com experiência é valorizar pessoas e não coisas. Um conceito dificilmente questionado por quem quer que seja.

Com certeza esse conceito de consumo é benéfico a nossa vida na medida em que traz felicidade e não necessariamente nos faz pessoas consumistas, porém é importante rejeitar a ideia de que se não estiver conhecendo o mundo, se a quantidade de países que conhece é menor do que a de seus amigos, você está perdendo tempo na sua vida.

Neste sentido, quantos likes são necessários na sua rede social para satisfazer sua autoestima? Até que ponto tirar uma foto abraçado com um animal silvestre está de acordo com seu discurso ambientalista?

Quantos lugares que visitou realmente criou impacto positivo? Até que ponto abraçar o Mickey na Disney faz da sua viagem uma experiência enriquecedora?

Não seria interessante questionar a necessidade que temos de viajar todo feriado prolongado que aparece? Até que ponto estamos condicionados a fazer isso porque não aguentamos a rotina a qual nos permitimos submeter todos os dias?

Proposito

Precisamos deixar de achar que selfies são mais importantes que o impacto social e econômico causado pelo turismo.

Você acorda na segunda pedindo a sexta feira? Porque temos que esperar o final de semana a noite para chamar de happy hour?

Qual a diferença de consumo entre pagar caro em um smart phone ou em uma viagem para o exterior se não existe nenhum propósito?

Não sou contra o consumo, mas a partir de que momento posso considerar que minha viagem terá mais valor que sua ida ao shopping?

Você se orgulha em pagar barato em passeios mas já parou para pensar que pode ser a custa da exploração da população local? Da especulação imobiliária? Da degradação do meio ambiente?

Entenda, não estou fazendo uma apologia contra quem quer que seja, só gostaria que nos questionássemos além do que é visível no cartão postal, nas fotos e videos na internet.

Afinal de contas, tudo é bom, desde que não sejamos escravos de nossos próprios desejos ou então, fazer simplesmente porque todo mundo faz.

Sejamos mais conscientes de nossas motivações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *