18 Novembro, 2019 Sapien Livre 2Comment

Sabe aquele objeto que você guarda só se por caso precisar um dia? Acho que todo mundo tem esses objetos dentro de casa. A gente vai guardando e guardando até que chega o momento que se encontra em volta de uma montanha de tranqueira inútil. Outro dia resolvi fazer uma limpa no meu quarto, eliminei um monte de coisas, mas ainda assim não desapeguei de outras com o pensamento de…. “vai que precise no futuro”.

A verdade é que até hoje não precisei e é bem possível que não venha precisar. Assim ainda me vejo cheio de coisas que não uso, mas guardo com a desculpa de que poderei usar em um futuro hipotético que nunca chega.

Com este pensamento resolvi fazer uma nova rodada de organização das minhas coisas, quero ver quantas destas coisas irei eliminar com a consciência de buscar exatamente esses pertences que estão guardados com a desculpa de serem usadas no futuro.

Tenho certeza que esses pertences ocupam espaço, precisam de manutenção, deixam o ambiente carregado e ainda não contribuem em nada com minha vida. Enfim, este é um exercício que me comprometi a fazer essa semana.

“Permita-se viver o desapego dos excessos dos bens materiais antes que a perda da vida lhe dê esta lição.” – Edson de Jesus

Penso que o desapego material é o início para ao desapego do ego, dos maus hábitos, das supostas amizades que o mundo moderno chama de network. Todas essas coisas que a gente pensa que será útil no futuro e só nos faz mal no presente.

E você, guarda muitas coisas com a desculpa de que pode precisar no futuro?

Imagem por Levelord – Pixabay

2 thoughts on “Vai que eu precise…

  1. Estou nesse mesmo lema que você… nesse mês comecei a desapegar de muitas coisas que estava sentindo que estavam entulhando minha casa e empacando minha vida. TV, armários, rack de TV, roupas, até copos, canecas, xícaras, coisas que ganhei de presente de casamento há mais de 15 anos e não usava…. mas também tenho a mesma sensação que estou sendo superficial e que se realmente me dedicar ao desapego sai de casa o dobro do que já saiu! mas a meta é ainda tirar muita coisa de casa até o fim do ano e começar 2020 com a casa mais livre, mais arejada e com energias renovadas (sem se esquecer que o espaço aberto pelo que se foi não deve ser preenchido com outras coisas igualmente sem utilidade e sem sentido).
    abraços!

    1. Olá Michele,
      Realmente é muito difícil desapegar e essa ideia de “vai que eu precise” é uma constante quando precisamos se livrar de algum objeto. Penso que esse é um processo que deve ser exercitado dia a dia. Não acontece de um dia para o outro, mas o importante é ter consciência das nossas tralhas…rsrs.
      Assim, aos poucos, a gente vai ficando mais leve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *