13 Novembro, 2020 Sapien Livre 10Comment

Como deve ser difícil ter gosto sofisticado, imagina se você precisa de uma garrafa de vinho de safra específica, de uva X, na temperatura Y, e além disso, no local que considera indispensável para se sentir pleno e feliz.

Quanto mais simples for sua felicidade, maior será sua gratidão. Essa é uma máxima fácil de entender, pois se você fica feliz tomando catuaba na calçada de um boteco, no centro da cidade. Qualquer vinho de reserva encontrado em supermercado irá produzir extrema satisfação e gratidão em sua vida.

A simplicidade de nossos gostos nos ajuda a ter maior gratidão pelo que possuímos e conquistamos. De forma alguma isso é uma crítica a quem gosta de coisas sofisticadas e mais difíceis de conseguir. Só que a chance se tornar um pouco infeliz ao não obter essas coisas acaba por limitar a felicidade.

Um sofá, um travesseiro cheiroso, uma roupa que lhe deixa super confortável, um simples copo de água gelada quando se tem sede. O sorriso de sua criança, uma chinela de dedo, o simples aroma de café coado na hora. Quantos coisas simples, que estão à nossa disposição o tempo todo e por isso nem percebemos nos podemos enumerar e deveríamos agradecer?

A gente sabe ser grato por grandes conquistas ou por eventos raros, mas negligenciamos os incríveis milagres que acontecem e vivenciamos todos os dias.

Quando eu ainda trabalhava no mundo corporativo, uma das coisas que mais me traziam satisfação era quando eu saia mais cedo do trabalho e podia tomar café da tarde com a minha mãe, nossa… consigo lembrar disso e me emocionar. Era um sentimento incrível por gratidão ter a possibilidade de compartilhar com ela aquele momento.

Hoje que sou FIRE, tenho a possibilidade de fazer isso com mais frequência e preciso, pela disponibilidade tempo, exercitar a minha memória de como isso era raro e difícil de acontecer. Tenho que ser muito grato e contente por fazer de um evento que era raro, agora comum e habitual.

É muito fácil se acostumar com as coisas boas que são rotina em nossas vidas e só quando temos a percepção de perda que notamos o quanto aquilo era importante e não tínhamos a devida gratidão. Até mesmo os problemas e os desafios que a vida nos traz devem ser objeto de gratidão, pois são esses momentos de estresse que nos evidenciam e nos motivam a buscar melhorias e visualizar o lado bom da vida.

Hoje eu busco viver o máximo possível o momento presente, independente de estar me sentindo bem ou não, para ter consciência e percepção dos pequenos milagres que acontecem todos os dias em minha vida.

Pense nisso. Gratidão!

Imagem por trilemidia – Pixabay

10 thoughts on “Quanto mais simples sua felicidade, maior será sua gratidão

  1. Fantástico!
    “É muito fácil se acostumar com as coisas boas que são rotina em nossas vidas e só quando temos a percepção de perda que notamos o quanto aquilo era importante e não tínhamos a devida gratidão.”

    É a mais pura verdade. As últimas semanas tem sido corridas pra mim e um dia me peguei reclamando do sol forte enquanto fazia exercícios ao ar livre às 14h de uma terça. Pouco após pensei:” quem mais poderia fazer isso em um dia útil”?

    O cheiro do café eu aprecio quase todo dia, fico em pé sentindo a fumaça enquanto lentamente o café desce pelo coador. Por outro lado, só faço café 100% arábica, um luxo que me dou e felizmente se tornou fácil de encontrar e não tão caro.

    Sobre liberdade, escutei há pouco um podcast do Naval Ravikant muito bom. Se não o conhece, vale a pesquisa (ele está presente no Twitter, podcasts próprio e como entrevistado, livro e uma coisa ou outra no YouTube). Tem umas coisas específicas sobre startups e investimento-anjo, mas é só pular.

    Abração

    1. Nossa… Olha só que coisa maravilhosa, poder se exercitar ao ar livre em horário comercial. Vc tem tida razão, nos gostamos de reclamar e as vezes nem percebemos que 99% da população não tem acesso a esses privilégios.
      Cheiro de café saindo na hora é um milagre de Deus.
      Abraço

  2. É exatamente esse o conceito de felicidade que eu tenho.

    Ser grato pelas pequenas coisas que mesmo tão pequenas fazem tanta diferença. Vejo muita gente relacionado a felicidade com bens materiais, com bebidas, viagens e tudo mais, mas quando você olha um pouco mais a fundo é apenas uma felicidade superficial, não é a essência da pessoa.

    Para mim o que vale é celebrarmos as pequenas conquistas e aquilo que faz bem, não é preciso de tudo para ser feliz é apenas preciso do necessário para si.

    Abraços,
    Pi.

    1. Penso que é normal associarmos a felicidade a conquistas materiais. É assim que a sociedade nos ensinou.
      Se desprender desse conceito é um exercício difícil e além disso. Só se torna verdadeiro quando temos a possibilidade de ter essas coisas e abdicar por conta própria e se sentir feliz, mesmo com o julgamento alheio.
      Abraço

    1. Oi EPI, eu me sinto na mesma situação que vc. Tenho vida e hábitos simples. Me sinto feliz desta forma, porém preciso fazer um exercício diário para agradecer as coisas que passam desapercebidas no meu dia dia.

  3. Gleison,

    Gostei muito do seu post. Ficou leve, simples e profundo. E tem tudo a ver com o que penso.

    Muitas vezes complicamos desnecessariamente a vida. E então, somente em um momento ruim é que começamos a dar mais valor ao óbvio, que acabou sendo substituído por coisas que nem eram tão importantes assim.

    “Hoje eu busco viver o máximo possível o momento presente, independente de estar me sentindo bem ou não, para ter consciência e percepção dos pequenos milagres que acontecem todos os dias em minha vida.”
    É dessa maneira que acabamos por entender o que realmente importa e que conseguimos nos libertar das distrações e ilusões desnecessárias que nos rodeiam.

    Um bom final de semana,

    1. Fico feliz por existir pessoas como vc que promove esse pensamento e ajuda outras pessoas a enxergar que existe alternativas. Muitas vezes sinto falta de compartilhar meus pensamentos e ideias com pessoas próximas. Parece que sou um ET. Pessoas como vc me passam o sentimento de pertencimento.
      Bjos

  4. Oi Sapien, esse texto lembrou quando minha mãe finalmente conseguiu ter dinheiro suficiente para consertar o ofurô (banheira japonesa) que estava há mais de 20 anos quebrada. Ela disse que a primeira vez que sentiu a água quente saindo do ofurô, começou a chorar de felicidade. Quem sempre pôde tomar banho quente, ou sempre teve dinheiro para consertar e até mesmo comprar as coisas, pode até não entender o choro de emoção dela, mas para ela, foi sinal de muita luta, muitos anos de espera. Relembrar o nosso passado é uma forma muito eficaz de dar valor às coisas singelas que temos hoje. É um exercício que tento fazer com frequência, como se fosse uma forma de não esquecer de valorizar as pequenas conquistas que temos diariamente. Beijos.

    1. Yuka, muito bonito esse seu relato. Realmente é muito gratificante essas conquistas. Lembro que minha mãe tinha o sonho de ter um cartão de crédito. Isso era coisa muito difícil na época, qndo ela conseguiu se sentiu muito feliz pois era uma questão de inclusão social.
      O exercício de sempre estar atento as coisas boas que estão sempre presentes em nossos vidas é essencial para sempre dar valor.
      Bjos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *