Comportamento

O pior conselho sobre finanças que já recebi na minha vida

15 Março, 2018 Sapien Livre 0Comment

É muito comum eu conversar com as pessoas sobre finanças, poucas vezes recebi boas dicas. Tenho certeza que você já ouviu um conselho como este:

– “Guardar dinheiro pra quê? Depois você morre e não aproveita nada… Tem mesmo é que gastar tudo!”

Esta mesma pessoa conta uma história do tipo: – Lembra de fulano? Trabalhava feito um condenado para juntar dinheiro, fez uma fortuna e do nada bateu as botas. Morreu sem aproveitar nada, deixou tudo para os outros.” 

Como está lendo um blog que fala sobre Liberdade financeira, acredito não compactua com essa ideia. Mas porque eu considero este o pior conselho sobre finanças que já recebi?

PRECISA ESCOLHER?

Quem falou que poupar dinheiro, fazer bons investimentos impede alguém de aproveitar a vida? Este é um grande mito que pessoas sem controle financeiro acreditam erroneamente. Pensam que é necessário escolher entre a felicidade ou o dinheiro. A boa notícia é que você pode escolher os dois, um não exclui o outro.

Eu particularmente não me privo de nada que me faz feliz, pelo contrário, por ter controle financeiro e saber muito bem o que quero, posso escolher o que fazer sem nenhuma culpa. As escolhas que fazemos não são para guardar e acumular dinheiro, são para ter maiores possibilidades de escolha e menos dependência, ou seja, poupamos para ter mais liberdade.

Aqueles que vivem no limite ou até acima de sua capacidade de renda ainda não adquiriram inteligência financeira e por consequência também estão longe de adquirir Integridade financeira . 

O que a grande maioria das  pessoas não sabem é que a forma como gastamos nosso dinheiro, ou seja nossa forma de consumir os recursos existentes no planeta, nada mais é que o reflexo de valores pessoais traduzidos e externados por nosso comportamento de consumo. Ao se tornar uma pessoa melhor irá fazer você poupar dinheiro sem nem pensar que está poupando dinheiro. Entendeu?

Quando vivemos como se não houvesse amanhã uma hora a conta chega. Enquanto somos jovens e conseguimos produzir nosso próprio sustento, não se preocupar com dinheiro é fácil, só que em algum momento a fonte seca. Todos vamos envelhecer e não é de hoje que sabemos, não é mais possível confiar no governo para aposentadoria. Entregar essa responsabilidade para nossos filhos é um castigo duplo, pois eles provavelmente terão o mesmo comportamento irresponsável com relação ao futuro que os pais possuíam.

Que vamos morrer é fato, o problema é que desejamos viver bastante e se possível muito bem. Viver como se não houvesse amanhã irá fazer o manhã se tornar muito mais difícil e menos prazeroso que hoje.

Viver o hoje é tão importante quanto se preservar para o amanhã, um não exclui o outro. Não se trata de uma questão de escolha binária, podemos ter os dois.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *