27 Junho, 2019 Sapien Livre 4Comment

Eu li esta história em um site Americano sobre finanças. Não sei realmente se existiu, mas pelo que pesquisei originalmente é uma história publicada por um escritor alemão, Heinrich Böll, in 1963.

Sempre quando me lembro desta parábola paro para pensar e tento ver ao redor como as pessoas levam suas vidas. É uma verdadeira lição sobre ambição e simplicidade.

O pescador e o banqueiro

Um banqueiro norte americano estava de férias em um balneário, no México, em um píer apreciando a paisagem quando um pescador mexicano se aproximou. No barco existia uma pequena quantidade de lindos peixes.

O banqueiro deu os parabéns ao pescador pelo resultado da pescaria e perguntou quanto tempo ele demorou para pegar aqueles peixes.

O pescador respondeu: – Somente algumas poucas horas.

E por que não fica no mar mais tempo para pescar mais peixes? Questionou o americano.

Respondeu que já tinha o suficiente para sustentar a sua família.

O banqueiro americano ( meio impaciente) perguntou: O que você faz com o resto do tempo?

Durmo a tarde, brinco com meus filhos, ajudo minha esposa, ando por toda a vila a noite onde tomo vinho e toco violão com meus amigos. Tenho uma vida plena e ocupada.

O Americano deu uma pequena risada: – Eu fiz MBA em Harvad e posso ajuda-lo. Deixa eu de falar algumas coisas:  ” Você deve passar mais tempo trabalhando e com os lucros, comprar um barco maior, e com o lucro do barco maior, você pode comprar outros barcos. Em pouco tempo terá uma frota de barcos de pesca. 

Em vez de vender para intermediários poderá vender direto para o cliente final, abrindo sua própria fábrica de pescados. Você controlaria o produto, a distribuição e o processamento. Você deveria se mudar para a capital ou até mesmo para os EUA,  onde administraria seu negócio em expansão.

O pescador perguntou: Mas quanto tempo isso vai demorar?

O banqueiro respondeu: – De quinze a vinte anos.

 Mas e depois?  Questionou o pescador.

O Americano riu e disse: Ai vem a melhor parte:  – Quando for a hora certa você anuncia uma IPO ( Oferta pública de abertura  da empresa na bolsa de valores)  e vende todas as ações para o público e assim ficará milionário.

E depois?

O Americano respondeu:  – Poderá mudar para uma pequena vila de pescadores onde poderá dormir até tarde, pescar um pouco, brincar com os filhos, ajudar a esposa, passear a noite pela vila, beber vinho e tocar violão com seus amigos!

O que aprendi com essa parábola

A mais óbvia é uma crítica à ambição por ambição contra a opção de viver de forma simples. Parece que é pecado optar por ganhar menos, por trabalhar menos ou não ter a ambição de possuir milhões.

As vezes o simples, o básico pode trazer exatamente os principais ingredientes para uma vida feliz, desde que tenhamos conhecimento do que é suficiente para nós. Como diz Mujica, “pobre é aquele que não sabe o que é o suficiente.”

E essa história leva ao questionamento principal… Por que? Será que vale a pena um trabalho estressante para ganhar mais? Se sua renda já é suficiente para cobrir suas despesas porque seguir com algo que não gosta, toma seu tempo com a família e amigos e ainda prejudica sua saúde.

Um outro questionamento que pode ser feito é que querer mais dinheiro como único propósito não vai nos trazer mais felicidade. Muitas vezes ficamos cegos e enxergamos apenas os números, mas depois de termos nossas necessidades básicas atendidas adicionar mais dinheiro não trará mais felicidade.

Minha crítica ao pescador

O pescador fala que tem o suficiente para atender as necessidades de sua família. Isso é igual a estar a um contra cheque da falência. O que aconteceria se houvesse falta de peixes na região, se o barco quebrar ou até perde-lo em uma tempestade? O que aconteceria se ele morresse. Como ficaria sua família?

Ter o suficiente é bom, mas é importante ter um pouco mais. A famosa gordurinha para queimar em tempos de vacas magras. Como costumo dizer, coisas ruins acontecem com pessoas boas. Temos que estar preparados para isso.

Acredito que a melhor forma seria ter o suficiente e um pouco mais para compor sua poupança, assim poderá alcançar a independência financeira sem a necessidade de morrer de trabalhar sem aproveitar a vida.

Com a independência financeira pescar passa a ser apenas mais um hobby.

Imagem por pixel2013 – pixabay

4 thoughts on “O pescador e o banqueiro

  1. Texto incrível, ainda não havia lido. Bem interessante as dicas do banqueiro e o fato de sua recompensa final ser exatamente o que o pescador já tem atualmente rsrs Mas o que mais me chama atenção é sua critica ao pescador, não contar com imprevistos pode ser uma mega dor de cabeça de uma hora para outra… Ele está feliz com o pouco, mas se esse pouco for suspenso, reduzido ou acabado, as coisas tendem a complicar.
    Abraço!

    1. Olá Semeador,

      Você tocou no ponto principal do texto.Temos uma visão romântica da vida simples. Isso é muito bom, porém é importante pensar no futuro e em eventuais problemas, afinal eles sempre acontecem.

      Grande abraço.

  2. Ótimo texto! Me fez pensar o quanto deixamos de refletir sobre os futuros imprevistos que podem nos acontecer! Parabéns.

    1. Oi Dayane,

      Verdade, costumo dizer que coisas ruins também acontecem para pessoas boas. Não dá para adivinhar o futuro, mas podemos nos precaver de alguns perigos.

      Grande beijo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *