23 Maio, 2020 Sapien Livre 2Comment

Tem uma história de um príncipe que tinha tudo na vida, ele foi criado para ter acesso a todas as coisas dentro do palácio e não foi apresentado a nada que lhe trouxesse sofrimento. Esse príncipe cresceu com toda as regalias, mas mesmo assim era angustiado. Não entendia o que acontecia com ele e por isso, um dia, resolveu sair e ver o que tinha do outro lado muro.

Foi aí que ele viu a pobreza, a sofrimento das pessoas, a violência e todo tipo de maldade que estamos acostumados a ver. Ao tomar conhecimento disso, ele foi radical, abandonou o palácio e todas as suas riquezas para procurar respostas para sua angústia e inquietações fora dos muros que lhe protegia.

Por anos ele viajou, morou na rua, passou fome, sofreu violência e todo tipo de privação. Chegou a conclusão que nem o prazer e nem sofrimento seria capaz de lhe satisfazer a alma. Ele entendeu que viver é uma roubada e a única solução para evitar o sofrimento é a elevação da alma, o que ficou conhecido como nirvana. Esse cara é famosamente conhecido pelo nome de Buda.

Fiz esse rodeio todo para dizer que, apesar de a gente ter todos os ingredientes para uma vida feliz, ter saúde, alimentação, um emprego, uma família que nos ama e amigos que nos falam que somos especiais, ( e tudo isso pode ser verdade) a vida está cagando para a gente. Não existe uma receita de bolo.

Ela vai bater, e vai bater forte, não importa nossos privilégios ou sofrimentos. Tem gente que fraqueja e tem outras que tomam como lição e seguem. A grande maioria desiste e se conforma, outros, lutam.

Quem não sabe lidar com as frustrações costuma procurar culpados. Uns dizem que a culpa é alguém da família, emprego, a falta de sorte, filhos, o ex marido, o governo. Não importa, sempre haverá alguém para culpar. Neste sentido passam a vida procurando algo que possa tirar, (ao passe de mágica) a sorte grande e ser feliz. É fácil ver isso nas filas que se formam nas casas lotéricas todos os dias.

A gente desiste das coisas muito fácil, a grande verdade é que a maioria de nós não temos a garra necessária para lidar com a derrota, com a imprevisibilidade, com a rejeição. Temos medo e por isso passamos a vida buscando segurança.

Por isso seguimos o modelo, procuramos fazer as coisas certas. Vemos nossos parentes e amigos e tentamos ouvi-los, seguir pelo caminho seguro. Em resposta temos uma vida sem sal, tão broxante como cerveja sem álcool.

Com certeza tem um monte de gente que nos têm com carinho, afinal, somos trabalhadores e procuramos fazer tudo certinho. Mas como diz Kiyosaki: a verdade é que a vida nos leva a submissão. No fundo a gente tem pavor de arriscar.

Queria, na verdade, vencer, mas o medo de perder é maior do que o prazer da vitória. No seu íntimo, só você saberá que não foi atrás disso. Escolheu a segurança.” – Robert T. Kiyosaki

Você é um leão de cativeiro, tem alimentação, cuidados, sombra e água fresca. Poderá ter uma vida longa, mas limitada ao quadrado que te impuseram.

Pense nisso!

Imagem por Fabio Grandis – Pixabay

2 thoughts on “O medo de perder é maior que o prazer da vitória

  1. Sapiens, de arrepiar este post e fazer refletir e muito.
    Sabe a sensação do prazer e boa, mas somente na perda e o medo e superior a ela.
    Na vida todos os dias, temos esta sensação será que está certo ou errado aquilo, nunca saberemos, mas sabemos que um ponto devemos chegar.
    Mas devemos ver e analisar tudo, como um ditado de Buda fala, oque passado o presente e o futuro, sempre vai ter alteração nunca vai ser o mesmo momento.

    1. Olá Eu Candido, tudo joia?
      Fazer essas reflexões é muito saudável. Com toda a rotina e problemas do dia a dia a gente vive meio que no automático e isso é péssimo porque deixamos de fazer nossas reais escolhas para viver determinado modelo pré existente, seguido e nunca questionado por todos.

      Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *