21 Setembro, 2020 Sapien Livre 2Comment

Eu comecei a investir há uns doze anos, durante esse período estudei bastante, tentei diversas estratégias e quebrei a cara tantas vezes que nem consigo contar nos dedos quantas foram. Como quase todo investidor iniciante queria ficar rico a curto prazo.

Foquei minha energia e meu dinheiro acreditando que poderia ser o escolhido, aquele que enxerga o que os outros não veem. E sabe que a pior coisa que pode acontecer para um investidor iniciante? É conseguir ganhar dinheiro fazendo a coisa errada. Foi isso que aconteceu comigo, acreditei nos meus resultados iniciais pensando que era puro talento e não apenas sorte de momento.

Quando fazemos algo errado e dá certo, repetimos o mesmo erro esperando que funcione novamente, e o que é pior, colocamos muito mais energia e recursos na “aposta”. Como as coisas não acontecem da forma que deveria acontecer e perdemos, a dor provocada pela dor (dor que gera outra dor) nos faz correr mais riscos. Tá aí a fórmula perfeita para ir à falência, um verdadeiro cemitério de investidores.

Estudar, trabalhar, acumular e investir

Se eu pudesse voltar no tempo seria essa a estratégia e ingredientes que usaria desde o primeiro real investido. Não tenho a menor dúvida que teria chegado muito mais rápido aos meus objetivos. A gente costuma achar que precisa de algo a mais para dar certo. Dedicar tempo buscando fórmulas mirabolantes, ou tentar encontrar a empresa certa, o investimento que nos levará a riqueza em pouco tempo. Tudo isso é romântico, excitante e tentador, mas perigosíssimo para nosso dinheiro.

Fazendo isso entregamos para a sorte a responsabilidade pela nossa vida. Tentar adivinhar o futuro é abrir mão da responsabilidade de construí-lo com nossas próprias habilidades.

… cultivar suas próprias aptidões, estudar e somar conhecimentos, tornar-se mais habilidoso e agir sempre respeitando a si mesmo.” – Do livro O homem mais rico da Babilônia   

Parece muito óbvio e é bem provável que um investidor iniciante, lendo isso tente aplicar esses conceitos tão simples, mas então porque não fazemos, porque a esmagadora maioria dos investidores perde dinheiro investindo e desistem? Posso estar errado, mas acredito que existe um ingrediente misturado a essa formula ( estudar, trabalhar, acumular, investir) que só temos percepção apenas depois de quebrar a cara.

Esse elemento é o tempo, a paciência para adquirir experiência necessária e fazer as coisas certas a longo prazo. A habilidade de errar e aprender, de plantar e esperar, de cultivar a paciência, de não seguir o investimento da moda, mesmo quando todos estiverem nele. É muito difícil se manter fiel a uma filosofia de investimentos a longo prazo, principalmente se os resultados não vierem como esperado no começo.

Só com tempo e experiência podemos lidar com expectativas e frustrações que nos levam a uma realidade totalmente diferente do imaginado inicialmente. Tornar-se um investidor cascudo é aprender que não sabemos das coisas e conseguir lidar com a incerteza, com a volatilidade e mesmo assim continuar, não porque acreditamos na sorte, mas porque até podemos ser pegos desprevenidos, mas nunca despreparados.

Imagem por pexels – pixabay

2 thoughts on “Não entregue sua vida a própria sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *