28 Novembro, 2018 Sapien Livre 6Comment

O Minimalista vem sendo muito comentado e também ganhando cada vez mais adeptos, principalmente depois do documentário apresentado na NETFLIX.

Depois de um grupo Minimalista iniciar uma discussão sobre renda no Facebook , observei que boa parte dos participantes eram minimalistas em função da baixa renda que possuíam e não por escolha.

VOCÊ MINIMALISTA POR OPÇÃO OU NECESSIDADE?

Com certeza este é um movimento que me identifico pela antigas práticas de frugalidade. Assim como a filosofia dos Estoicos e também dos Epicuristas na Grécia antiga, o minimalismo vem como um alternativa à pensamentos pré concebidos ( me refiro aos aspectos de consumo, estas filosofias são muito mais abrangentes).

Mas será que não é mais fácil se dizer minimalista pelo simples fato de não ter a capacidade ou a coragem de lutar por uma renda maior? É mais fácil falar que não gosta de consumir quando não se tem recursos para consumir, mas se tivesse condição de possuir mais coisas faria?

Seria mais ou menos como um discurso de derrotado, do tipo “Não queria mesmo”. Como podemos saber que o discurso minimalista de algumas pessoas não passa de uma desculpa para a falta de dinheiro?

Responda com sinceridade, despido de seus próprios preconceitos: Se você tivesse o dobro de sua renda hoje iria consumir mais coisas? O que mudaria em sua vida? Iria manter seu padrão de consumo?

Caso tenha tido alguma perturbação interna no sentido de que faria diferente do que faz hoje é bem possível que sustente seu discurso por falta de renda.

Para viver uma filosofia que acredita, que é de certa forma uma contra cultura, é necessário esforço. Como diz o filosofo Emanuel kant:

“Toda reforma interior e toda mudança para melhor dependem exclusivamente da aplicação do nosso próprio esforço.”

Assim como se escolhe um prato de comida pelo sabor e não pelo valor descrito no menu, alguém que se julga minimalista só será por completo quando puder aplicar seus valores por opção. Neste sentido podemos aplicar o conceito de integridade financeira.

Não quero taxar quem quer que seja a acreditar que é necessário ter folga no orçamento para provar sua filosofia de vida, mas penso que é um grande teste para nós mesmos deixar de exercer determinado poder apenas por opção, mesmo indo contra nossa própria vontade.

Isso é o que chamo de verdadeira liberdade.

Imagem por MabelAmber

Posts Relacionados

6 thoughts on “MINIMALISTA POR OPÇÃO OU NECESSIDADE?

  1. Perfeito, hoje esse é um dos meus maiores desafios enquanto tento entrar nesse mundo minimalista, ser inspirada pelo discursos de quem realmente deseja ser assim. Meu desejo é parar de ser assolada pelo consumismo, e vejo o mininalismo como parte da solução que busco, porém vejo muitos discursos de pessoas que mudaram de “não posso comprar pois estou sem dinheiro” para “sou minimalista” o que acaba deturpando o movimento. Enfim, é preciso ter muita noção do que deseja para saber se inspirar pelo discurso certo.

    1. Ola Mariana,

      Seu comentário enriquece ainda mais o artigo. É bem verdade que muita gente usa determinadas filosofias como desculpa para não buscar melhorar no que está falhando. É importante ter atenção a isso para não nos auto sabotar.

  2. Muito pertinente esse questionamento. Mas vejo a falta de recursos como um ponte de partida para uma vida minimalista, ainda que no início seja uma desculpa. Da mesma forma que muita gente precisa de um infarto para adotar uma vida mais saudável, e melhor, a falta de dinheiro pode ser um começo para algumas pessoas também. Mas gosto da reflexão sobre o que faríamos caso a conta bancária voltasse a ficar generosa 🙂

  3. Sinto que passei por algo inverso. Sempre fui frugal e econômica, e sempre tive sobra de recursos. Ao descobrir o minimalismo essa sobra aumentou, e meus investimentos tb. Digo que o minimalismo foi uma excelente desculpa pra minha pão durice, que é bem anterior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *