16 Julho, 2018 Sapien Livre 2Comment

Essa palavra pouco usual, muitas vezes confundida com avareza e vida miserável, precisa ser mais presente em nossas vidas.

SIMPLICIDADE VOLUNTÁRIA

Existem alguns movimentos que pregam a simplicidade voluntária que estão em evidência hoje em dia. Eles buscam reviver a frugalidade, como exemplo temos o movimento FIRE e também o downshifting.

Estes dois movimentos possuem em comum a necessidade de levar uma vida menos acelerada e mais simples.

Desta forma podemos entender que a frugalidade não é o meio, mas sim a finalidade de levar uma vida com simplicidade voluntária, minimalista mas nem por isso simplória. 

Não confunda isso com austeridade financeira, contenção de gastos ou avareza, pois estes são subprodutos do consumismo e do desperdício. 

APOLOGIA A POBREZA NEM PENSAR

As pessoas de uma forma geral acreditam que apoiar uma vida mais simples significa se limitar de inúmeras coisas, porém essa é uma visão equivocada. A frugalidade está baseada no conceito da autossuficiência.

“Consideremos ainda a autossuficiência um grande bem; não que devamos nos satisfazer com pouco, mas para nos contentarmos com esse pouco caso não tenhamos o muito, honestamente convencidos de que desfrutam melhor a abundância os que menos dependem dela; tudo o que é natural é fácil de conseguir; difícil é tudo o que é inútil. ” Epicuro

Quando se compreende o que é suficiente, não existe necessidade de investir e perder tempo com o que já não lhe trará satisfação e realização, em comparação com a energia vital desprendida.

O que não compreendemos, quando se gasta dinheiro com coisas inúteis está, na verdade, gastando seu tempo de vida já que precisou perder trabalhando para ganhar esse recurso.

Downshifting

MINIMALISMO É FAZER USO

Não é necessário viver com o mínimo para se considerar minimalista. Não precisa possuir apenas um par de sapatos, por exemplo. Se tiver 50 pares e fizer uso de todos, pode se considerar uma pessoa Minimalista.  

Minimalismo não tem relação com valor ou quantidade, na verdade o conceito conversa inversamente com o desperdício.

Assim como também a aquisição muitos produtos baratos ao invés de poucos, porém com maior qualidade e durabilidade.

Não existe o menor problema em consumir, o dilema está na falta de autoconhecimento que gera o consumo desnecessário e desperdício na vida pessoal, profissional e financeira. . 

VIDA NO MODO AUTOMÁTICO

Viver de segunda a sexta, de contra cheque em contra cheque, sempre esperando pelo final de semana, pelas férias, pelo final de ano… ao estilo modo automático é um dos maiores problemas de nossa vida pós moderna.

Repetir padrões pré estabelecidos pela sociedade sem a menor consciência é um estado mental perigoso, pois este é um sintoma claro de vida sem propósito.

Neste sentido viver de forma minimalista acaba por desempenhar papel fundamental em todos aspectos de nossa existência, já que ultrapassa o limites financeiros.

Posts Relacionados

2 thoughts on “MINIMALISMO NÃO É APOLOGIA A POBREZA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *