11 Junho, 2020 Sapien Livre 17Comment

Outro dia meu amigo Aposente Cedo (aposentecedo.com) me sugeriu que escrevesse sobre minha rotina FIRE. Acho que essa é uma curiosidade grande na comunidade FIRE: Como é a vida de quem tem o seu tempo 100% livre.

Como nós vivemos em uma situação totalmente atípica, penso que minha rotina atual, não é exatamente a que seria em tempos normais, por isso resolvi escrever de uma forma mais ampla, vou falar sobre meu primeiro ano FIRE e os aspectos que mudaram e ainda estão em mudança na minha vida e também na vida das pessoas que convivo.

Relacionamento com a Família e amigos

O primeiro impacto de uma vida FIRE será com relação às pessoas que você mora ou tem proximidade. Hoje minha mãe não entende muito bem como eu parei de trabalhar e consigo pagar minhas contas. Ela acha que estou torrando meu fundo de garantia até acabar. Já minha irmã  e meus amigos, principalmente os do antigo trabalho, acham que eu fiquei rico, tipo alguém que ganhou na loteria.

Na verdade a relação com as pessoas fica um pouco complicada pois elas continuam reclamando das mesmas coisas, usando quase que 100% do seu tempo com trabalho ou descompressão do trabalho, desta forma você acaba não sendo muito bem visto por ter a possibilidade de fazer o que bem entender com seu tempo, inclusive pegar uma segunda feira para tomar cerveja ou ir no cinema depois do almoço.

Não posso chegar em um happy hour e falar esse tipo de coisa, parece que estou esnobando delas, do esforço de cada um com suas obrigações e problemas. Esse é um aspecto ruim do mundo FIRE, nos tornamos mais solitários.

Uso do Tempo

O que fazer com tanto tempo disponível, neste primeiro ano eu tinha por objetivo viajar o Brasil fazendo voluntariado, queria ter a possibilidade de aprender e conhecer profissões que nunca tive oportunidade. Atividades como permacultura, bioconstrução, aprender a cozinhar, ser voluntário em grandes eventos e festivais, entre outras coisas, mas com a pandemia (Covid19 – 2020), isso não foi possível.

O tempo que dedico para minha família e amigos, que muitas vezes foi um dos maiores motivadores de eu me esforçar para buscar a Independência Financeira, vejo que apesar de ser bem maior, não tem tanta intensidade quando tinha antes.

Isso é engraçado porque a qualidade do tempo não está relacionado com a quantidade de tempo disponível, neste sentido a maior disponibilidade não quer dizer que teremos maior qualidade em nossos relacionamentos.

Diversão

Eu tinha um trabalho super estressante, uma carga horária carregada, trabalhava com prazos apertados e clientes que exigiam alta performance. Tudo isso me fazia buscar aliviar essa tensão do dia a dia com happy hour, comer fora, viagens de final de semana e principalmente férias.

Eu costumo dizer que trabalhar custa caro. A exemplo disso, minhas despesas caíram 30%. É engraçado que não mudei meu padrão de vida, apenas não tenho mais necessidade de descompressão, de aliviar estresse.

Não tenho mais final de semana e nem feriado

Que dia é hoje? Preciso consultar o calendário com frequência para saber que dia da semana nós estamos. Hoje não faz a menor diferença se é domingo ou sexta-feira, eu faço o que tenho de fazer independente do dia. Se tenho que trabalhar em casa, escrever ou estudar, não importa, qualquer dia é dia. Os feriados deixaram de fazer sentido completamente.

Sinto até falta de olhar a movimentação da bolsa de valores quando percebo que é sábado, por mim, nesta fase da minha vida não faz sentido final de semana.

Trabalho Remunerado

Apesar de não ter a necessidade atual de trabalhar por dinheiro, os vinte anos que trabalhei, desde os quatorze anos de idade, me deixaram condicionado a um salário mensal. É estranho olhar minha planilha de controle e ver a linha de salário zerada.

Nossa sociedade de um modo geral costuma valorizar e cultuar o esforço, acordar cedo, a ideia de que precisamos nos dedicar a labuta. Afinal de contas… o trabalho dignifica o homem. Esse é um aspecto da vida FIRE que precisamos observar. A gente, durante o período de acumulação, procura se preparar psicologicamente para lidar com essas coisas, mas só vivendo para saber. É bem estranho.

Penso que seja um aprendizado de longo prazo, neste sentido, buscar se aproximar de pessoas com o mesmo pensamento e alinhadas com a mesma filosofia de vida é muito positivo.

O mundo FIRE é solitário.

Imagem por Freephoto – pixabay


17 thoughts on “Meu primeiro ano FIRE

  1. Muito bom! Pouca gente na jornada pensa em como será depois e se ilude achando que vai ser um “sonho de liberdade” e felicidade.
    Lembrei-me de uma das cenas finais do filme À Espera de um Milagre, em que o personagem de Tom Hanks, com a sina de viver mais de 120 anos, comenta a maldição que é ver todos os seus amigos e família morrendo e você seguir vivo.
    Posso estar viajando, mas parece que a solidão por você descrita tem um paralelo: você parece estar vivendo enquanto todos os demais seguem “mortos” na rotina da corrida dos ratos.

    A impressão da família e amigos no meu círculo é exatamente como você descreveu! Tem gente que acha que ficamos birutas, outros que estamos torrando economias e vamos sofrer no futuro e outros que acham que ganhamos na loteria (e olha que eu ainda nem cheguei no seu estágio da jornada). Mesmo quando a gente explica o conceito e a matemática por trás, não entra na cabeça das pessoas.

    Obrigado pela menção ao blog e, principalmente, pelo convite em estreitarmos nossos laços, mesmo que virtuais, nesta pequena comunidade. Mesmo que se sinta solitário, lembre-se que nunca estará sozinho.

    Forte abraço,
    Aposente Cedo

    1. Maano.. essa relação que fez com o filme e principalmente o trecho que fala “você parece estar vivendo enquanto todos os demais seguem “mortos” na rotina da corrida dos ratos.” E bem isso, um mundo paralelo, acho que nós escrevemos exatamente para poder partilhar esse mundo que vivemos, para tentar mostrar que existe outra forna de fazer e viver o mundo.

      Abraço

    2. Maano.. essa relação que fez com o filme e principalmente o trecho que fala “você parece estar vivendo enquanto todos os demais seguem “mortos” na rotina da corrida dos ratos.” E bem isso, um mundo paralelo, acho que nós escrevemos exatamente para poder partilhar esse mundo que vivemos, para tentar mostrar que existe outra forna de fazer e viver o mundo.

  2. Sapien,

    Quero me aproximar de você, posso ser sua amiga ? rsrsrsrsrs
    Meu mundo é muito solitário, não tenho com quem discutir meus assuntos “finanças” dentre outros de cunho intelectual, nem família, nem amigos ….. o mundo deles é outro. E é um mundo que não me encaixo, estou na minha busca FIRE a três anos, sei que meu caminho ainda é bem longo. Mas ter com quem conversar assuntos dessa natureza, dividir experiências, compartilhar conhecimento é tudo o que eu preciso.

    1. Ola Suzana,

      Rs… sim, pode ser minha amiga. A comunidade FIRE é pequena e anonima. Temoa mesmo que buscar essa aproximação. Pode me acompanhar pelo Instagram @sapienlivre.

      Boa sorte na sua caminhada.

      Bjos

    1. Estudar é uma atividade para toda vida. Muito da coisas que estudanos na vida, fazemos com propósito de ganhar dinheiro. Poder estudar apenas pelo prazer de aprender é muito bom.
      Abraço

  3. Três momentos interessantíssimos do seu texto:
    *O que pensam sobre você
    *A intensidade dos momentos
    *A linha da planilha referente ao salário em branco

    Não sei se você percebeu ou não, mas enquanto leitor eu senti que tem muito a ser falado sobre esse tema. É uma vida absolutamente inimaginável para quem está começando a jornada.

    Com o perdão da comparação, você é o cara que morreu e que voltou pra nos contar como é.

    Conta mais! 😀 😀 😀

    1. Kkkkk… rindo alto do seu comentário
      Realmente tem muito que se falar sobre os itens que destacou. Penso que seja possível escrever até livros.
      Parece mesmo um renascimento, é outra vida!
      Abraço

  4. Já tenho 2 anos de FIRE e várias vezes me senti culpada por poder acordar às 9h e tomar café com calma ou assistir tv a tarde depois de ter arrumado minha casa cozinhado meu almoço e comido sem pressa. Não sei o que dizer quando comentam comigo “ai, essa correria da vida…” ou “estou enlouquecendo em casa nessa quarentena”, já que a mudança na minha rotina se restringiu em deixar de ir ao mercado toda semana para fazer compras por mês. É estranho.
    As vezes também dá medo ver o rendimento dos investimentos caírem e não ter mais a segurança do salário mensal, mas isso também aconteceria se, empregada, fosse demitida. Então, tanto segurar a ansiedade para não surtar.
    E o que pra mim fez mais diferença: tenho uma rotina, sem responsabilidade de entregas, sem estresse de prazo, sem cobranças externas. Quando lembro disso, todo o resto vale a pena.

    Abraços,

    E.

    1. Oi Erika, tudo bem?

      Bom saber que não sou apenas eu que tenho essa sensação de que estou em um mundo paralelo. Um amigo meu chamou isso de a maldição FIRE.

      Lidar com o gerenciamento dos investimentos será nosso trabalho pelo resto da vida. Aos poucos isso fica automático que nem parece trabalho.

      Abraço

  5. Olá pessoal do universo paralelo.

    Essa vida de independência financeira é estranha, no bom sentido.
    Ainda não sou FIRE mas estou perto e não me preocupo com as contas do cotidiano. Nesse processo me isolei de amigos e familiares por falta de sintonia mesmo e acredito que seja natural com o nosso momento.

    Tento seguir resolvendo problemas e utilizando o tempo com atividades prazerosas para evitar o tédio. Essa fase deve ser planejada para aqueles que estão no caminho para não estranharem a calmaria e mudança de rotina e hábitos, nem todos se saem bem nessa trajetória.

    Sucesso a todos!

    1. Oi Mateus,

      Parece que todos que estão nessa caminhada passam por esse processo. Planejar a rotina e as futuras atividas ajuda bastante, no entanto, como dizia Joelmir Betin, na prática a teoria é outra.

      Abraço!

  6. Obrigado por compartilhar o seu primeiro ano. Para nós que ainda somos aspirantes, é importante ler relatos de quem já está na fase FIRE. Eu tenho que me preparar muito porque sinto que vou passar pela fase da culpa por não ter que cumprir horários e estar sempre na correria do dia a dia. Ao mesmo tempo, não vejo a hora de ter tempo para fazer as coisas no meu tempo, sem pressa.

    Grande abraço.

    1. Olá Thiago,
      Essa dualidade realmente é bem complicada porque estamos condicionados desde que nascemos a ser valorizado pelo esforço. Acho q só vivendo para saber. Espero que chegue rápido ao FIRE para dividir sua experiência com a gente.
      Grande abraço!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *