7 Setembro, 2018 Sapien Livre 0Comment

Recentemente a Nike lançou um vídeo polêmico em comemoração aos 30 anos do slogan JUST DO IT. O vídeo causou polêmica pois utilizaram o jogador de futebol americano Colin Kaepernick.

Kaepernick  chamou a atenção do mundo, contra a desigualdade racial e casos em que pessoas negras foram mortas brutalmente pela polícia, ao se ajoelhar durante e execução do hino nacional Americano. Para muitos ele desrespeitou o hino e a nação com esse ato, para outros se tornou símbolo da luta contra o preconceito e racismo.

De qualquer forma, podemos observar a força do marketing em fazer do ativismo uma forma de alavancar marcas e engajar pessoas ao consumo.

É algo realmente muito poderoso e precisa ser observado para não fazermos do ativismo social o pretexto para a promoção e comércio de produtos.

Veja o vídeo no final do artigo.

APENAS FAÇA ALGUMA COISA 

O Slogan Just do It que traduzindo para o português seria “apenas faça”. É muito bom porque ele é forte, simples, instrutivo. É uma chamada para a ação.

A marca obviamente faz uma chamada para a prática esportiva, mas trazendo o slogan para nossas vidas o problema que fica é… e se você não sabe o que deseja fazer?

Somos incentivados constantemente a seguir nossas paixões, fazer o que gostamos a nos desafiarmos porém nem sempre sabemos o que seria essa nossa paixão. Qual o nosso propósito.

Desta forma o “apenas faça” torna-se até um pouco perigoso no sentido de estar no caminho errado e mesmo assim seguir em frente.

Entendo que a melhor combinação para o slogan seria “Apenas faça alguma coisa”, mesmo que ainda não tenha certeza de qual é realmente sua missão de vida.

Como dizem os The Minimalists:

Faça alguma coisa que esteja alinhada com seus valores, com suas crenças, com seus desejos e curiosidades.

Todo comediante precisou contar sua primeira piada;

Todo músico precisou tocar sua primeira acorde;

Todo super star precisou lançar seu primeiro sucesso.

Óbvio, é bem possível que não acerte da primeira vez, então busque outra coisa e outra, até achar algo que realmente te represente como indivíduo.

Quem disse que você precisa casar com sua profissão para o resto da vida? Você não deve fidelidade alguma a sua profissão.

O professor Mario Sérgio Cortella fala que serviço é aquilo que te remunera, que te paga. Já trabalho é a representação da sua personalidade, da sua arte, não no conceito artístico, mas como representação de sua personalidade e significado.

Apenas faça alguma coisa.

Link original: https://www.youtube.com/watch?time_continue=125&v=Fq2CvmgoO7I

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *