6 Fevereiro, 2020 Sapien Livre 2Comment

A maioria das pessoas se consideram felizes, tenho certeza disso. Se perguntar para qualquer pessoa se ela é feliz a maioria dirá que sim, mas, sempre existe um mas. A maioria também pensa… se eu tivesse um emprego melhor, se eu trocasse de carro, se meu apartamento estivesse pago, se eu tivesse mais dinheiro, se eu tivesse uma TV 4K de 72 polegadas, se eu pudesse viajar todos os anos para fora do país, se viesse aquela promoção, aí sim, seria completamente feliz.

Os exemplos beiram o infinito, todas as pessoas deste planeta acreditam que falta alguma coisa para completar sua felicidade, e geralmente essa coisa é algo relacionado ao consumo. É como se fosse a cereja do bolo que falta para completar uma vida plenamente feliz.

Como cavar a própria cova –  Esteira Hedonista

A adaptação Hedônica, esse viés complicado e pouco usual é o nome que se dá ao processo natural que nós humanos, após definirmos um objetivo para nossa felicidade e alcançado essa meta, voltamos ao estágio inicial e não importa o que aconteça, você pode ganhar na loteria ou perder um braço (isso vale para coisas ruins também),  – pesquisas já comprovaram que, apesar de altos e baixos, você retorna para o mesmo nível de felicidade de antes da conquista ou perda.

Nós, por natureza, somos seres esforçados, a gente vive buscando formas de melhorar nossas vidas, de buscar novos objetivos e desafios. O problema é que para cada realização, sobra menos espaço para satisfação e chega uma hora em que as coisas param de funcionar. É neste momento que caímos na esteira hedônica, sempre buscando alguma coisa, uma nova meta. Somado a isso temos uma indústria que produz coisas cada vez mais descartáveis, com o intuito exatamente de satisfazer essa corrida mental maluca.

Fuja do jogo de Ego e Status

A grande sacada é perceber que nossos desejos são efêmeros, eles são iguais a mentira, têm pernas curtas. A maioria dos teóricos desejos que nos farão mais felizes estão ligados ao status e servem apenas para massagear nosso ego.

“A maior liberdade é não se preocupar com o que as pessoas pensam sobre o seu status” – Ross Gittins

Nossa energia não deveria estar direcionada para aquisições, compras e consumo, isso é como cavar a própria cova, já que o tempo de vida gasto para conquistar essas coisas não se recupera. Perseguir esses pequenos altos que as coisas nos proporcionam é um erro. Precisamos aprender a parar e apreciar, desfrutar de nosso nível natural de felicidade, sem a necessidade de turbiná-lo com alguma quinquilharia que ficará obsoleta assim que sair da loja.

É possível parar de trabalhar feito louco, se estressar menos e ainda alcançar a independência financeira se perceber o efeito da esteira hedônica, deixar de procurar impressionar os vizinhos e parentes, a felicidade com essas coisas passa rápido e a vida também.

Imagem por Daniel_Nobreda – Pixabay

2 thoughts on “Esteira Hedonista – Como cavar a própria cova

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *