10 Fevereiro, 2020 Sapien Livre 0Comment

Outro dia vi uma matéria sobre uma família que vivia em uma situação de extrema pobreza, até aí infelizmente não é nenhuma novidade no nosso país, mas o que me chamou atenção foi o fato de eles terem direito ao bolsa família, porém devido a um problema na documentação (por culpa deles) já estavam a uns seis meses sem o beneficio.

Pude ler, nos comentários das pessoas sobre a reportagem, muitas críticas por não darem prioridade a correção dos documentos para receber o benefício social e amenizar a situação de pobreza extrema, sendo chamadas de burras, entre outros adjetivos.

O que pessoas leigas olhando de fora essa situação não entendem é que quando o ser humano entra em um processo de extrema necessidade, nosso cérebro, para preservar a vida neste momento, ativa como se fosse um modo de emergência, onde sobreviver é a única alternativa.

Essa mentalidade de escassez faz com que as pessoas enxerguem apenas as necessidades imediatas e sacrifiquem o futuro, fazendo assim a situação cada vez pior. Esse viés não permite à pessoa pensar a longo prazo, ela só enxerga o curto prazo e tudo que está além de suas vistas é ignorado.

Neste sentido um fenômeno cruel se torna padrão onde a pessoa foca apenas em apagar o fogo do momento e outros vão surgindo a sua volta, transformando tudo em um verdadeiro incêndio. A pessoa não tem tempo para se preparar para o futuro se está focando apenas no hoje.

A escassez toma conta da nossa mente automaticamente, se faz necessário uma força de vontade sobre humana para sair desta situação por conta própria. É por isso que esse lero lero de mindset da riqueza é, muitas vezes, cruel pois usa a exceção como regra.

Dívidas até o pescoço

Por muito tempo eu questionei pessoas que vivem no vermelho, devendo cartão e pagando só o mínimo, utilizam o rotativo da conta bancária, se sujeitam a pagar os juros mais altos que existe no mercado. Para muitas pessoas que se encontram no caos financeiro, esse viés também tem grande influência nas péssimas decisões tomadas, na inércia, na falta de ação para sair do buraco. Porque será que pessoas inteligentes e com ótima renda se encontram em situação de ir a falência sem saber o que fazer? Muita gente chega a níveis graves de depressão e em último caso ao suicídio.

Precisamos entender que todos nós estamos suscetíveis a estas armadilhas da mente e muitas vezes precisamos de ajuda para sair do buraco, mesmo que aos olhos dos outros, pareça fácil sair sozinho.

Imagem por Andreas160578 – Pixabay

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *