18 Fevereiro, 2020 Sapien Livre 4Comment

Recentemente o programa de rádio Pânico, da Jovem Pan, teve como pauta o Movimento FIRE. O economista Sanny Dana apresentou para os demais participantes e ouvintes o que ele acreditava e pesquisou sobre o movimento. É visível que a pesquisa foi, no mínimo superficial, passando uma visão totalmente deturbada e ainda dados imprecisos sobre a regra dos 4%. ( Veja vídeo do programa no final do texto)

Além disso, falou que para atingir a independência financeira rápido, precisa abdicar da vida dos vinte aos quarenta anos. Viver como o mínimo do mínimo ( um miserável) e trabalhar feito louco (a). E pergunta: – Será que vale a pena abdicar da vida por quinze a vinte anos para chegar aos quarenta e viver sem um trabalho?

Mais uma vez a questão trabalho é colocado de forma superficial já que o objetivo não é simplesmente parar de trabalhar, mas sim extrair aquilo de melhor que a vida pode oferecer. Seja trabalhando de forma remunerada ou não, pois como define o professor Cortella… serviço é o que te remunera, trabalho é o que te dá significado ( independe de remuneração).

Dominar o ego é ouvir besteira e mesmo assim ficar indiferente

Como toda contracultura seremos contestados e até mesmo ridicularizados. Não será a primeira nem a última vez que teremos pessoas criticando ou se inflando de ego por não entenderem e não aceitarem nossos estilos e escolhas de vida.

Eu aprendi a acalmar meu ego e não mais me influenciar por pessoas e nem situações de exposição pública como esta do programa de rádio. Algumas pessoas precisam massagear o próprio ego agredindo ou se colocando como melhores que os outros. Nossa ação mais comum é reagir, contestar, no entanto, quando reagimos é nosso ego que também está se inflando.

E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música. – Friedrich Nietzsche

A melhor resposta é a indiferença, simplesmente continuar com nossas vidas. Se alguém quiser ajuda, será um prazer ser solidário, mas não devemos tentar convencer ninguém. Quando estamos seguros de nossas decisões não precisamos convencer as pessoas, apenas viver nossas vidas.

Segue o baile!!

 

Imagem por Murtaza_ali

4 thoughts on “E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos

  1. Meu pai se aposentou aos 40 anos de idade. Teve sua carteira de trabalho assinada com 15 anos e devido à sua profissão ser considerada de risco (eletricista industrial) conseguiu se aposentar cedo (100% do teto do INSS). Naquela época não vi ninguém se ofender por ele estar em casa nessa idade muito mesmo falar que ele estava perdendo a juventude enquanto vivia viajando para instalações de pontes rolantes, guindastes e afins (ficava meses fora de casa para poder garantir um salário bem acima da média na época).
    Hoje todos querem se meter na vida e na decisão das pessoas como se fossem os donos da verdade sendo que acredito que cada um tem a sua e tem o direto de viver e lutar por ela.
    Em era de redes sociais, exposição exagerada e facilidades da vida moderna todos se acham no direito de falar da vida dos outros e nessa hora é que me lembro da história do menino que passava fome e ficou sabendo que quem conseguisse subir o pau-de-sebo (coisas de festa junina do interior) ganharia uma cesta básica. Mesmo todos falando e gritando que seria impossível o garoto foi lá e subiu. Na hora de receber o prêmio perguntam como um menino franzino e fraquinho conseguira tal feito e a mãe respondeu: ele é surdo!
    Segue o baile!

    1. Oi Michele, tudo bem?
      Obrigado pelo seu depoimento, essa história do menino é ótima. Se desse darmos ouvidos aos outros nunca iremos viver nossa própria vida.

      Abraço.

    1. Oi Aposente Cedo,
      Realmente é uma visão bem superficial, no entanto acredito que não é nada que já não tenhamos escutado ou convivido em nosso dia a dia. Somos contra cultura e seremos sempre vitrine para aqueles que estão na corrida dos ratos.

      Grande abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *