Comportamento

Como eu atingi a independência Financeira

19 Janeiro, 2022 Sapien Livre 14Comment

Acho que essa é uma das maiores curiosidades de alguém que está começando no mundo dos investimentos e que deseja atingir a independência financeira.

Uma coisa importante que preciso falar é que nunca tive um super salário, minha profissão não tinha nada de especial, não sou nenhum gênio dos investimentos e tão pouco tive a sorte de dar a tacada certa.

Eu sempre fiz investimentos, desde que comecei a ganhar dinheiro sempre guardei alguma parte, porém eu só adquiri a visão de longo prazo para alcançar a independência financeira aos 27 anos de idade, ou seja, 10 anos atrás. Então qual o secredo?

Foco na Renda

Quando eu tinha 27 anos, tracei um planejamento para alcançar a independência financeira aos 45 anos. E eu escolhi esse número como limite. Queria porque queria estar “aposentado com essa idade”.

Nessa época eu já fazia investimentos no mercado de ações, mas meus resultados eram medianos para ruins. Foi nessa mesmo período que mudei minha estratégia de investir para ativos geradores de renda. Inicialmente ações pagadoras de dividendos e um pouco mais para frente em fundos de investimentos imobiliários.

E esse foi o start para minha vida FIRE, a ideia de parar de trabalhar aos 45 anos, após aportes constantes e religiosamente mensais, por volta de 40% a 50% do meu salário me fez ver que poderia antecipar essa data para os 40 anos de idade.

Assim fui cumprindo minhas metas, porém quando completei 35 anos de idade, fui mandado embora de meu último emprego. Como toda pessoa que leva um pé na bunda, me senti super mal, senti a necessidade de me provar como bom profissional e busquei recolocação.

Passado duas semanas e alguns contatos, consegui três entrevistas, passei em duas e na semana seguinte já estava em um novo emprego. Só que ao começar a trabalhar não me via mais fazendo aquilo, com aquelas pessoas, aquele mesmo mundo corporativo, cheio de pessoas desmotivadas, ambiente competitivo e muito trabalho.

A empresa era boa e inclusive referência no mercado que atuava, mas percebi que o problema era comigo. Eu me arrastava para a empresa todos os dias. Era uma tortura acordar pela manhã, eu pegava o metrô em São Paulo, atravessava a cidade já querendo voltar para casa.

A primeira semana foi horrível, talvez apenas uma questão de adaptação, então prometi para mim que ficaria até o final do mês. Não estava dando certo, cada vez me sentia pior. Tática de resistência à tortura, ficaria até o final da próxima semana.

Bom, quando chegou a ideia de me segurar até o final do dia me veio a certeza de que deveria parar. Uma coisa interessante quando queremos algo é a visão seletiva, alguns poderão chamar isso de “coincidência”, mas tudo que eu via, ouvia ou fazia alguma leitura me dava sinais de que deveria largar o emprego.

O Livro que estava lendo, as placas de trânsito e até mesmo a programação de TV, parecia que o mundo estava me dizendo para deixar o trabalho.

Como não sou nenhum irresponsável, fiz alguns estudos para saber se meu patrimônio era suficiente para manter minhas despesas. Como havia recebido o fundo de garantia , foi adicionado uma boa quantia ao meu patrimônio que eu ainda não tinha ideia do impacto sobre os rendimentos, mesmo porque eu ainda não tinha feito toda alocação.

Mas com as simulações que havia feito, os rendimentos seriam suficientes para me manter. Então com essa confirmação, avisei minha chefe, peguei minhas coisas e nunca mais voltei.

A realidade é essa, antecipei meus planos em 10 anos e de forma improvisada. Afinal de contas, plano que não se muda não presta. Um ponto interessante de minha história e que tenho observado em outras pessoas que atingiram a independência financeira é que todas conseguiram isso antes do inicialmente planejado.

Eu acho que quando direcionamos nossas vidas para algo que realmente desejamos e damos foco e direção nesse propósito, o mundo conspira para que isso aconteça. Muitas vezes nem sabemos como fazer acontecer, mas simplesmente acontece por nos movermos na direção do objetivo.

Os problemas não deixam de existir quando você atinge FIRE, na verdade eles apenas mudam. Por isso que ainda hoje tenho muitos questionamentos, dúvidas e medos com relação ao futuro.

Manter o pé no chão e entender que tudo passa é uma forma de ficar sempre alerta, preocupado com os problemas do nosso país, em fazer boas escolhas nos investimentos, fazer exercícios, manter a mente saudável e a alma serena.

Quando se atinge a independência financeira a caminhada continua, só mudamos a rota.

Imagem por cocoparisienne – pixabay

 

14 thoughts on “Como eu atingi a independência Financeira

    1. Olá Bilionário,

      Após aproximadamente 3 anos, meu patrimônio cresceu uns 25% e a renda passiva mais de 50%. Ano passado a média de reinvestimento ficou próxima de 30%, que é a meta que estipulei. A inflação tem sido uma preocupação pois meus gastos subiram por volta de 40%. Nesse sentido é muito importante ter atenção aos investimentos corrigidos pela inflação, mas também na recuperação de ativos que não seguem o ciclo econômico inflacionário, que é o caso dos fundos imobiliários.
      Acredito que á médio prazo os preços dos ativos reflitam a nossa realidade inflacionária.

      Abraço.

        1. Fala Vafabundo… Tudo joia?
          Não, o crescimento real é de uns 10%, eu tive um ótimo ano em 2020.
          A inflação realmente tem corroído nosso poder de poupança, muito importante no seu caso buscar outras fontes de renda ou melhor qualificação para melhorar os aportes e recuperar poder de compra.

          Abraço!!

  1. Olá Sapien,

    Parabéns pela conquista e somos grato por compartilhar a sua experiência nessa jornada.

    Percebo muitas vezes que nós falta essa visão de longo prazo. E planejar, traçar metas e trabalhar são coisas difíceis de discutir com familiares e amigos.

    Mas aqui na Firesfera sinto-me acolhido para expor meus pensamentos e compartilhar minha caminhada.

    Abraços,
    VAR

    1. Fala VAR,

      Realmente, visão de longo é uma das coisas mais difíceis de realizar em nossas vidas. Acho que por isso temos tão poucas pessoas nessa jornada e ainda assim, serão menos ainda os que irão conseguir.

      Eh bom compartilhar e aprender com todos da finansfera.

      Abraço

  2. Gosto de ler histórias como a sua. É sempre motivador ver que todo o esforço, privações e erros acabam contribuindo para um crescimento no longo prazo.

    Que os próximos 10 anos sejam ainda melhores do que esses primeiros dez.

    Abraços,
    Pi

    1. Olá Poupador,

      Casa ano é um desafio novo. E até os mesmos problemas são tratados com perspectiva diferente. Um eterno aprendizado.

      Abraço

    1. Oie Glaucia,

      Eu faço meus investimentos de forma ativa, neste caso considero trabalho, mas não passa de algumas poucas horas por semana.

      Em algum momento voltarei a exercer alguma atividade remunerada, mas ainda não encontrei nada que me encanta oara valer o esforço.

      Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *