17 Novembro, 2017 Sapien Livre 0Comment

Muitas vezes me sinto sozinho pois quando vou conversar com as pessoas sobre educação financeira, percebo que elas não sabem nem o básico do básico, estes são verdadeiros analfabetos financeiros.

ANALFABETOS FINANCEIROS

Não vou abordar os casos em que as pessoas têm uma renda tão baixa que seus recursos não são suficientes nem para atender suas necessidades mais básicas. Para estes, a solução é buscar fontes de receita, além de educação e em último caso, ajuda governamental.

Não gosto assistencialismo mas sei que, sem ajuda, muita gente não tem como alimentar seus filhos com o mínimo possível para viver com dignidade.

Os programas sociais, infelizmente ainda são importantes fontes de renda para muitas famílias brasileiras. Aos que se encontram nessa situação precisam de ajuda para buscar conhecimento, melhorar sua receita e sair da situação de subsistência, é obrigação moral da sociedade em geral ajudar essas pessoas.

Como você deve estar lendo esse artigo de um computador ou smartphone, entendo que não seja seu caso.

É uma pena como me decepciono quando inicio um bate papo com amigos e pessoas próximas sobre dinheiro de um modo geral.

Na verdade são poucas pessoas que posso falar de investimentos, pois a maioria são devedores, estão com a corda no pescoço.

DESCULPAS QUE NÃO FALTAM

Muita gente justifica que não gosta de matemática ou que não teve educação financeira em casa, não tem paciência, entre outras desculpas para ser totalmente ignorante com relação a educação financeira.

Não é sua culpa não ter tido oportunidades de aprender sobre finanças, também não é sua culpa os maus exemplos que teve dentro de casa e a influência negativa que a mídia em um modo geral nos empurra goela abaixo.

A matemática de finanças é muito simples, coisa de educação primária. Então porque pessoas formadas, com alto grau de educação vivem em dificuldade financeira?

Não se pode gastar mais do que se ganha. Não tem desculpa, uma criança aprende isso cedo quando vai na cantina do colégio, por isso concluo que o problema é comportamental, são as ferramentas mentais que estão erradas.

Neste sentido a busca por solução para os problemas e de ferramentas deve começar com a mudança de mentalidade. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *