7 Dezembro, 2018 Sapien Livre 4Comment
Quando imaginamos independência financeira nos vem a cabeça pessoas jovens, bonitas, aventureira e em lugares paradisíacos. O desenho que vem na mente é um notebook no colo de frente para o mar no final de tarde, acompanhado de uma bebida gelada e refrescante.

Em outros casos podemos imaginar pessoas em casas confortáveis um carro SUV na garagem, uma família sorridente e unida ( típico comercial de margarina).

A grande realidade é que um FIRE de verdade mais se aproxima da aparência do português da padaria. Todos sabem que possui dinheiro, mas o cara não ostenta nada, vai a pé para o trabalho, usa roupas modestas e sem marca, não tem o menor apreço para vaidade ou se preocupa em envaidecer o próprio ego.

Se possui filhos não dá moleza, cuida para que tenham boa educação, mas exige que se esforcem para que deem valor as coisas.

Você dificilmente verá em alguém que busca a independência financeira alguém sexy, pois ser sexy aos olhos de nossa sociedade é quase o oposto do que se pratica para conseguir a liberdade financeira.

O homem que é firme, paciente, simples, natural e tranquilo está perto da virtude.  – Confúcio

Roupas de marca, perfumes importados, carro do ano e telefones que valem mais que uma moto popular são os ingredientes da personificação de quem é sexy. Mas estes atributos estão longe de representar as pessoas que buscam viver por seus próprios meios.

Não quero estereotipar ninguém, os exageros no exemplo são necessários para o entendimento do conceito. Parecer com o português da padaria não é o que nós gostaríamos, mas é o que possivelmente irão enxergar em nós.

 A busca pela independência financeira  é um caminho árduo e sua beleza e sensualidade só é visual para aqueles que enxergam além do óbvio.

Imagem por CC0 Creative Commons

4 thoughts on “A INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA NÃO É SEXY

  1. Pois é, o que mais vejo na representação da cultura pop, principalmente romances voltados para o público feminino, essa imagem de pessoa bem sucedida a pessoa que geralmente herdou o dinheiro de alguém e ostenta várias coisas e dizem que esse comportamento é o comportamento normal de uma pessoa que ten liberdade financeira, vide 50 tons de cinza que o cara compra o que quiser a hora que bem entender. Adoro os artigo daqui porque eles mostram a crueza da vida real, nem todos nós tivemos a sorte de ter um pai rico. Para ostentar coisas é preciso trabalhar, para ter liberdade financeira é preciso se privar de certas coisas, e essas coisas das quais precisamos nos privar no final de tudo nem tem tanta importância assim.

    1. Verdade Mariana, o que se vende e também o que é atraente na maioria das culturas, não só a nossa, é o culto ao pop star. A ideia da vida sem limites, do consumo desenfreado e irresponsável com as futuras gerações. Obrigado por expor sua opinião!

  2. Concordo que não dá para ostentar e ser FIRE, são incompatíveis. Mas, dá para para ter um estilo de vida bem interessante, com criatividade para o lazer, para se vestir bem e tudo isso gastando bem pouco. O que acontece, como a colega mencionou no comentário, é que o que é mais valorizado é um estilo de vida estereotipado com o carro ou carros do ano, apartamento de luxo, roupas e assessórios de grife…Todavia, é bastante interessante quem sabe raciocinar em meio a esse bando de ilusões momentâneas e ver além, construir seu patrimônio com o próprio esforço e perspicácia , valorizando uma vida mais real, minimalista e significativa do que aparências e bens de consumo. Valeu!

    1. Luciana, seu comentário com certeza enriquece a discussão. Sempre irá haver alternativas para quem usa criatividade e faz uso de um consumo consciente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *