Comportamento

A importância de pertencer

26 Agosto, 2021 Sapien Livre 8Comment

Relacionar-se é tão importante quanto atingir a IF

Tem um filme muito bacana chamado Na natureza Selvagem (Into the Wild). Ele retrata a história real de um jovem americano (Christopher McCandless) que decidiu deixar a sociedade e viver como um ermitão na natureza, mais exatamente no estado do Alaska.

Não querendo fazer spoiler para quem ainda não viu o filme, depois de um período de lua de mel com o ambiente, os problemas começam aparecer até que ele adoece e morre sozinho por inanição dentro de um ônibus abandonado no meio do nada.

Antes de morrer, ele escreveu alguns recados e uma das coisas que deixou documentada foi a frase…

” A felicidade só é real quando pode ser compartilhada”. Christopher McCandless

Essa frase traduz exatamente tudo que gostaria de explicar nesse post. Nós humanos somos seres sociais, temos por necessidade viver em sociedade. No entanto nossa sociedade está doente e como solução criamos algumas contra culturas, a exemplo disso temos as ecovilas, as chamadas sociedades alternativas, sejam elas religiosas ou não.

Minha Vida na IF

Quando eu resolvi largar o emprego, aconteceu algo parecido que o protagonista do filme realizou. Foi mais ou menos o mesmo que largar a sociedade e entrar em um desconhecido.

Obviamente como ser sociável, precisava de partilhar minha felicidade. Afinal de contas, do que adianta alguém ter uma piscina em casa se não tem um amigo para convidar no final de semana para nadar do que adianta ter uma faixa preta de jiu-jitsu se não pode praticar com ninguém.

De que adianta ter dinheiro se não pode dividir a conta no final do happy hour com nenhum amigo. Do que adianta escrever um texto como esse e não ter nenhuma pessoa para ler e partilhar dessas ideias.

Obviamente existem pessoas que preferem a solitude a qualquer companhia. Bom, esses são exceção, mas ok, não podemos excluir que existem.

“A amizade é uma alma com dois corpos” – Aristóteles

No entanto, subir uma montanha e não ter com quem partilhar é perturbador. Atingir a IF é chegar no topo da montanha e nesse sentido, hoje tenho como objetivo também ajudar pessoas a chegarem no topo. Nem que seja de outra montanha, afinal de contas, a IF é relativa à realidade de cada um, do mesmo jeito existem montanhas de tamanhos e formas diferentes.

Ajudar outros a trilhar o mesmo caminho é também uma forma de se manter nos trilhos.

Assim como não faz sentido ser um professor sem alunos, se manter na caminhada e nos objetivos pessoais quando existem outras pessoas com quem compartilhar torna a caminhada mais significativa. De tal forma que compartilhar se torna um motor propulsor de não fugir de nossos objetivos pessoais.

A admiração pelo igual

Em teoria existe uma comunidade FIRE aqui no Brasil, ou melhor temos pessoas que comungam um assunto de igual interesse e por isso nos aproximamos e partilhamos conhecimento, problemas e ideias. Quando tomamos o outro como igual e esse igual é digno de admiração, por conclusão também sentimos admiração e estima por nós mesmos, afinal de contas somos iguais.

“A amizade é uma predisposição recíproca que torna dois seres igualmente ciosos da felicidade um do outro” – Platão

É como um dividendo pela partilha da vivência em comunidade, da troca de ideias, da possibilidade de ajudar e da humildade de saber que ainda tem muito que aprender. Assim como os dividendos financeiros, esses também ganhamos de forma passiva, apenas por pertencer.

O que você pensa sobre essa questão? Bobagem ou de extrema importância para uma vida feliz?

Imagem por Pixabay

8 thoughts on “A importância de pertencer

  1. Legais essas analogias Sapien !!!
    Acredito na importância de desenvolver a solitude, pois na vida real se dependermos sempre de ter pessoas pra dividir tudo acabamos nos frustrando em várias situações.
    A comunidade FIRE me ajuda bastante, vídeos, blogs, textos, pois sinto alinhamento de ideias e objetivos de investimentos, minimalismo, IF…etc.
    Já no mundo real eu não me sinto bem falando dos meus objetivos de IF, pois sempre tem julgamentos ou do lado de ser minimalista ou alguns que podem pensar que vou estar nadando em dinheiro…não atoa a maioria da galera prefere o anonimato.
    Mas pode ser um exercício de quebra desses paradigmas.
    Seu texto me trouxe essas reflexões…será que fez sentido?
    Abraço

    1. Tatal Pépe, eu compartilho das mesmas experiências que você está vivendo. Para algumas pessoas é melhor se fingir de bobo. Não vale a pena gastar saliva.

      Já outras, podemos tentar inspirar pelo exemplo e mostrando que é possível uma vida diferente, mas prepare-se para frustração… Hahah

      Abraço

  2. concordo

    Christopher McCandless – doidão azarado e genial que comeu veneno por acidente e se matou. alguns quilos de miojo na mochila teriam salvado a vida dele

  3. Excelente reflexão, assim como todas as demais compartilhadas nesse blog!
    Acho a sua escrita simples, mas contundente! Parabéns!
    Há algum tempo não estou recebendo os novos posts por e-mail. Será que houve algum problema com a plataforma de newsletter? Tentei me recadastrar, mas diz “You do not have permission to add subscriber”…
    🙁

    1. Oi Paula, tudo bem?
      Obrigado pelas palavras. Fico feliz que faça algum sentido para você.

      Vou checar seu email.

      Abraço!!

  4. Ola Sapien Livre, tudo bem?
    Eu conheci esse “mundo” por acaso no ano passado e parece que achei a minha tribo, me sinto muito feliz lendo o seu e outros blogs, me identifico e me sinto “parte” de algo maior, não estou sozinha na minha jornada que não posso compartilhar com ninguem do mundo real… Apenas gostaria que soubesse que seus textos fazem MUITA diferença na minha vida!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *